sexta-feira, março 07, 2008

Se amanhã o repórter me perguntasse... 3

Se amanhã, numa eventual cobertura jornalística da Manifestação dos Professores, o repórter de um canal de televisão ou de um jornal diário me perguntasse o que é que eu penso sobre as tomadas de posição que algumas associações de pais têm manifestado a propósito das actuais divergências entre professores e equipa responsável do Ministério da Educação, e da reforma educativa em curso, eu diria assim ao repórter:
Sabe, o esforço e o empenho dos pais na vida escolar é muito importante. Os pais são os primeiros responsáveis pela educação dos seus filhos e não devem aceitar nunca que seja de maneira diferente. E, independentemente do que tenham para ensinar às crianças e jovens, os professores não devem esquecer isso nunca, também.
Daí que seja muito importante a existência de estruturas de congregação de esforços de alguns pais mais mobilizados, estruturas essas que distribuam muita ajuda e apoio àqueles pais que, quaisquer que sejam as razões, os professores nas escolas nunca chegam a conhecer, anos a fio. Se há coisa que entristece muitos directores de turma é a sala vazia de pais na hora das reuniões de encarregados de educação.
Portanto, para nós, professores, é um estímulo muito grande ver pais empenhados em mobilizar outros pais para a actividade escolar dos filhos.
No fundo, é sempre um pequeno grupo de pais esclarecidos que sabem que não deve ser pedido aos professores que dêem aos seus [dos pais] filhos a educação que cabe por direito e obrigação aos pais.
Só quem não é professor é que não tem ideia do estímulo que é para os professores a constatação de que têm junto a si alguns pais a ajudar os educadores dos seus filhos a trazer os outros pais à escola!...

Sem comentários: