segunda-feira, março 07, 2011

"Respire", manda o Ricardo. E eu, pronto, respiro.

Meu querido Ricardo, mais uma vez gostei muito! Não sei se foi essa a intenção, mas nos tremendos e muito claros contrastes de nitidez e de profundidade, que variam constantemente, a gente vê o vai-vem da respiração. A difusão dos contra-luzes e das poeiras brilhantes a levantar do chão; os gestos e os movimentos dos personagens que "abafam" ou abrem o espaço da imagem, "afinam pelo mesmo diapasão". Bem bom, sinceramente, bem bom! Grande abraço!

Sem comentários: