sexta-feira, janeiro 14, 2011

Uma lição para todos nós! Carlos Castro e Renato Seabra

Curvo-me perante a simplicidade desta extraordinária manifestação de solidariedade coletiva. Especialmente notável é o depoimento do jovem amigo de Renato Seabra, por volta do minuto e meio da reportagem: não julga ninguém, não defende ninguém, não ataca ninguém, diz que estão ali para dar força ao amigo, o qual, seja o que seja que tenha acontecido, seja qual seja a sua responsabilidade ou culpa, necessita, no entender deste grupo de amigos, da sua força e da sua solidariedade para enfrentar o que for de enfrentar. No meu entender, uma lição tremenda para tantos jornalistas, comentadores e especialistas do Direito, da Psiquiatria, da Psicologia e da Homossexualidade que têm passado pelos canais de televisão. "Os amigos nunca vão deixar de ser amigos."
O que aconteceu foi muito dramático, foi tremendamente trágico. Quem alguma coisa agora quiser fazer, faça o que estes amigos fizeram: mostrem solidariedade e apoio a Renato Seabra, aos seus familiares e aos familiares de Carlos Castro.

4 comentários:

Fernando Pinto disse...

Na minha opinião, o melhor contributo INFORMATIVO e APRECIATIVO que até agora apareceu na comunicação social sobre este caso, é de Guilherme de Melo, e está aqui: http://www.ionline.pt/conteudo/98679-carlos-castro-sabia-que-o-renato-nao-era-homossexual

Anónimo disse...

De facto não dá para entender...
Que terá acontecido?
- Carlos Castro sabia que ia ser assasinado:
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/carlos-castro-renato-seabra-renato-seabra-modelo-carlos-castro-morto-modelo-renato-seabra-tvi24/1224387-4071.html
- Carlos Castro tinham desejo de morrer na cidade que nao dorme ,New York:
http://www.dragteam.info/forum/nacional-noticias/126049-carlos-castro-encontrado-morto-em-hotel-de-nova-iorque-2.html
- Carlos Castro 'conquistou' modelo no Facebook: http://sol.sapo.pt/inicio/Sociedade/Interior.aspx?content_id=9222
- Renato Seabra, "dia anterior Renato tinha dito que não andava a sentir-se bem, que estava muito cansado e a dormir mal":
http://www.jn.pt/Dossies/dossie.aspx?content_id=1753213&dossier=O%20assassinato%20de%20Carlos%20Castro

Drogado????

Será somente coincidencias?

Pedro Motta disse...

Ó Fernando, francamente! O rapaz é jovem, é bonito, tem um ar simpático. Mas matou, por qualquer motivo que seja, um homem. Que os amigos o queiram defender, pela amizade que lhe têm, e se ainda a conseguem ter, porque nenhuma relação é incondicional, a não ser com os filhos e os pais, está muito bem. Para mim é um ser humano com toda a dignidade e julgamento imparcial, que, como tal, deve merecer. Mas trata-se de um homem que matou outro. Insanidade momentânea? O que é isso? Não é um criminoso? Que homem o fora antes de ter cometido um crime? Não será o assassinato sem premeditação, por definição, o caso de todos os criminosos que matam sem método? A ausência de método é talvez a única atenuante legítima, o que não quer dizer afectiva e jurídica.

Psikus disse...

Caro Pedro, na minha interpretação das palavras deste rapaz, é como se ele dissesse: "O seu a seu dono", ou "A César o que é de César", quer dizer, aos juízes cabe julgar imparcialmente, aos amigos cabe apoiar compreensivamente, seja qual seja a intenção esclarecida ou doentia do amigo. No fundo, o que fez o Papa João Paulo II quando visitou e perdoou o criminoso que o tentou matar? Que quis ele mostrar com isso? Ele não disse "Eu perdoo este homem, soltem-no." Nem me parece que seja isso que estes amigos estejam a pedir. Eles não dizem que o amigo é criminoso ou que deixa de o ser. Simplesmente fazem aquilo que cabe mesmo aos amigos fazer: mostrar amizade, dar força, nem que seja para dignamente suportar a condenação merecida.
O problema é os não-especialistas e - pior ainda! - os especialistas da informação e da psicologia humana que fazem mau serviço porque vão além do que deveriam e distorcem a nossa perceção da realidade, inventando eventos, interpretando errada e abusivamente.