domingo, maio 18, 2008

17 de Maio, Dia Mundial contra a Homofobia, a liberdade individual e a família

JS afixa cartazes contra a homofobia e espera pelo BE para avançar com leis
18.05.2008, Leonete Botelho
Casamento com pessoas do mesmo sexo vai sendo trabalhado no plano dos argumentos. Lei vai esperar...

É assim que começa uma notícia da edição de hoje do jornal Público, que diz ainda que o Dia Mundial contra a Homofobia ainda não é oficialmente reconhecido pelo governo português.

No dia 13 levei uma das minhas turmas a participar numa sessão de esclarecimento, na escola, sobre a prevenção do cancro do colo do útero. Foi uma sessão muito interessante e muito conseguida. Falou-se com inteligência e entusiasmo sóbrio do que era importante falar. E mais uma vez se falou em métodos contraceptivos, em geral, e no preservativo, em particular.

No dia 16 aconteceu fazer com essa mesma turma um pequeno exercício em que as alunas tinham de escolher as "suas" sete maravilhas do mundo, em seguimento de um pequeno trabalho que um colega de uma escola grega, de Kalamata, me enviou pela Internet. Surpreendentemente para mim, a maravilha mais vezes escolhida, a que mais nitidamente recebeu o maior número de votos, foi a família.

O direito à diferença. Seja.
A edição desta semana da revista Visão fala do aumento de casos em que jovens homens se ligam maritalmente a mulheres claramente mais velhas. Seja.
A defesa e a educação das liberdades individuais. Seja.
O casamento entre pessoas do mesmo sexo. Seja.

A família, maravilha rainha numa breve aula de sexta-feira de manhã de uma escola secundária de Lisboa, é a família tradicional que todos conhecemos. O casamento, mesmo o casamento tradicional, não é sinónimo de família.

Tenho ideia que temos de agarrar a defesa do valor da família com a mesma força com que agora se pugna por outras coisas.

Sem comentários: