sábado, setembro 12, 2015

OS SERES HUMANOS E AS FRONTEIRAS RADICAIS DE MIA COUTO

OS SERES HUMANOS E AS FRONTEIRAS RADICAIS DE MIA COUTO

«Encheram a terra de fronteiras, carregaram o céu de bandeiras, mas só há duas nações – a dos vivos e dos mortos.»


3 documentos extraordinários! Para apreciar aos bocadinhos - sobretudo, ao lado de outros (os pais, os filhos, os alunos, os colegas, os amigos, os estranhos, os diferentes...). Ver, com olhos de ver: corte no filme, não corte em cada testemunho individual! A seguir, a seguir é falar, discutir, discutir, discutir.
O primeiro vídeo está aqui.


SUGESTÃO: não procure convencer ninguém! oiça e diga o que pensa. Diga amavelmente "Fica na tua que eu fico na minha...", mas oiça, não interrompa, e diga o que pensa.
Driven by these questions, filmmaker and artist Yann Arthus-Bertrand spent three years collecting real-life stories from 2,000 women and men in 60 countries. Working with a dedicated team of translators, journalists and cameramen, Yann captures deeply personal and emotional accounts of topics that unite us all; struggles with poverty, war, homophobia, and the future of our planet mixed with moments of love and happiness. 

Sem comentários: