domingo, junho 29, 2008

Um pouco mais sobre Al Gore e Marlo Lewis

No sítio da Ver, está publicada uma entrevista co Marlo Lewis, Jr, (http://www.ver.pt/conteudos/ver_mais_Geral.aspx?docID=529), da qual transcrevo uma pergunta e a respectiva resposta:

Contudo e por outro lado, a evidência do aquecimento global é avassaladora e inegável para a esmagadora maioria dos cientistas. O que tem a dizer sobre este facto?
A evidência do aquecimento global é inegável. Não há qualquer tipo de discussão quanto a isso. O mundo está muito mais quente do em 1975 e o século XX, no geral, foi mais quente do que o século XIX. E também não existem dúvidas de que a emissão de gases com efeito de estufa constitui um dos factores para o recente aquecimento global (embora alguns cientistas defendam que a variabilidade natural possa ser responsável até metade do aquecimento observado durante o século XX e que os registos da temperatura da superfície terrestre podem estar “contaminados” pelos efeitos do aquecimento em locais próximos das estações de monitorização. Mas o truque retórico de Gore é declarar que estes limitados pontos de concordância constituem prova de que o mundo está em perigo iminente e que os benefícios das soluções por ele propostas ultrapassam os custos. E é neste ponto que eu e muitos outros discordamos.

Lá deixei o seguinte comentário, automatica e imediatamente publicado, o que revela a boa fé dos responsáveis do sítio. A entrevistadora foi Helena Oliveira:

29-06-2008 14:34 - Fernando Pinto, Lisboa
Para além dos ódios que Marlo Lewis parece destilar (em todo o lado onde o tenho lido) em relação a Al Gore... Para além do drama que é para nós, professores com a responsabilidade de formar e informar adequadamente os nossos alunos, eu perguntaria:

Para Marlo Lewis, Jr.,
01- O aquecimento global, mesmo que absolutamente natural, é ou não é negativo (no sentido de que reduz espécies; reduz habitats; reduz recursos; etc.) para a vida, em geral; e para os biliões de seres humanos, em particular, que hoje povoam os países e o Planeta?
02- Há ou não há um consumo excessivo de recursos naturais, manufacturados e fabricados, sobretudo nos países desenvolvidos da Europa, da América, da Ásia, e dos países "emergentes" (a China e a Índia)?
03- Há ou não há que moderar consumos e modificar estilos de vida (pensando sobretudo nos países desenvolvidos)?
04- Há ou não há que estabelecer relações de maior ajuda e de menor exploração dos países pobres pelos países ricos?
05- Há ou não há uma crise cada vez maior de água potável, que tem tendência a acentuar-se nos próximos anos, a nível mundial?
06- São ou não os países pobres os que mais irão sofrer com a previsível falta de água?
Não sei se alguma vez Marlo Lewis, Jr. falou ou foi interrogado sobre isto... Alguém me pode ajudar a sabê-lo?... Obrigado!

3 comentários:

nuno lemos disse...

Bem meu amigo agora tenho eu de deixar um comentário ao que escreveste:
1 - o problema com Al Gore está na veracidade das suas afirmações. Sob um ponto de vista cientifico ele falha muitas vezes. Utiliza o argumento (verdadeiro) que existem interesses económicos que não querem aceitar o aquecimento global mas não fala dos seus interesses em que todas as pessoas tenham uma medo "irracional" do aquecimento global. É assim que ele faz milhões. Falha também na objectividade: Al Gore dá a entender no seu filme que a gripe das aves (por exemplo) está sociada ao aquecimento global. Dá a entender que a malária vai agravar com o aquecimento global. Ele no entanto não afirma que:
1 - não há provas de nenhuma relação entre a gripe das aves e o aquecimento global;
2 - que a malária pode ser perfeitamente combatida com bons sistemas de saúde, sistemas de esgotos, redes mosquiteiras, novas politicas contra as companhias farmacêuti cas, etc... Por exemplo a fria Rússia do século XIX tinha surtos de malária, assim como a Inglaterra os teve e partes mais "frescas" dos EUA. E foi eliminada.

nuno lemos disse...

Continuando:
Outro grande adversário de Al Gore é Bjorn Lomborg. Este autor tem ganho muitos adeptos e tem desfeito alguns mitos pseudo-ambientalistas.

Respondendo às tuas perguntas:
1 - a questão importante não é se o aquecimento global é negativo (também tem aspectos positivos). Mas o que devemos fazer contra isso. É aqui que existe muita discórdia.
2 - espero que o consumo excessivo dos recursos naturais não esteja ligado ao mito do fim do petróleo. lol. Há efectivamente um consumo excessivo mas o maior problema está na desigualdade da distribuição dos recursos e não no seu consumo. Podemos melhorar hábitos de vida mas isso não vai implicar uma diminuição muito drástica do consumo dos recursos naturais. Somos 6 biliões.
4 - concordo plenamente com o estabelecimento de laços de maior entreajuda entre países ricos e pobres. Sejamos verdadeiros a fome, a malária e a SIDA são problemas endémicos em África porque nós assim queremos. No fundo são facilmente resolvidos. Na realidade a nossa atenção desmesurada para o aquecimento global está a desviar a nossa atenção de problemas bem mais graves como os que aqui são mencionados. Faz pouco tempo Bjorn Lomborg publicou um livro com os resultados das análises de alguns dos melhores economistas mundiais. "Como gastar 50 biliões para salvar o mundo" é o título. Nos problemas mais graves a resolver nem constava o aquecimento global.
4 - quanto à água: é um problema semdúvida mas proque nunca nos preocupámos com isso. Não achas estranho que tenhamos tecnologia para enviar satélites para lá do sistema solar e para ir à lua mas nem conseguimos criar métodos económicos de utilizar a àgua do mar? É porque nunca nos procupámos. Na realidade temos capacidade de vencer esse desafio e criar a tecnologia de forma a garantir água para todos. Não sei até que ponto os países ricos estão interessados a ajudar os países pobres. Os países pobres, por outro lado, também tem de criar politicas económicas relativamente ao dispêndio de água que sejam benéficas. Para tal aconselho-te a leitura da obra de Joseph Stiglitz, prémio nobel da economia. (também tenho os livros dele se quiseres). lol
Para terminar deixo uma questão à qual poderei responder daqui a uns dias: como podemos usar o aquecimento global para diminuir a falta de água e preservar alguns ecosistemas?

Acúrcio disse...

Ó meus amigos, como diria o diácono remédios, acho que a discussão genérica faz todo o sentido, tem pernas para andar, argumentos de um e de outro lado. A meu ver, sem prejuízo da importância dessa discussão e de um forum apropriado ao fito, deveríamos amar as gentes, o tempo e o lugar da criação onde cada um de nós vive, ou sobrevive, e envolver nesse amor todos os nossos circunstantes.
Abraços do vosso admirador
Acúrcio